convergência de mídias, mídia online e mídia tradicional

PRÓS E CONTRAS DA MÍDIA TRADICIONAL E SUA IMPORTÂNCIA NO MEIO DIGITAL

Quando se fala em marketing de relacionamento, muitos profissionais de marketing dizem que investir em mídias tradicionais é fundamental para se manter as boas práticas, porém para outros, as mídias online são as que garantem bons resultados. Com a tendência das convergências das mídias, é inevitável afirmar que as mídias tradicionais estão se adaptando à mídia digital. Com o mundo globalizado avançando em ritmo acelerado, novas ferramentas, apps, redes sociais surgem a todo o momento, tornando essencial a presença das empresas nesse meio, que apesar de ser relevante para os negócios, não deve impedir o uso da mídia tradicional.

Como tudo tem seu lado bom e ruim, a mídia tradicional também possui seus prós e contras, de acordo com o site Marketing de Conteúdo, são essas:

A favor da mídia tradicional!

  1. Continua sendo uma alternativa confiável: segundo dados do Ibope, no primeiro trimestre de 2014, 57% do público ainda assistem à TV aberta;
  2. A audiência já vem segmentada, especialmente em jornais, pois as seções ou canais de rádio e Televisão, por exemplo, oferece um público bem direcionado;
  3. Ainda existe espaço e demanda por publicidade: os mesmo números do ano passado mostram que houve um crescimento de 15% em investimento em propaganda em relação a 2013;
  4. Traz resultados em pouco tempo: segue a norma do ‘para cada ação existe uma reação’, causando uma rápida satisfação do consumidor;
  5. É permanente e tangível: o tempo de exposição para deleite de quem consome é durável.

Contra a mídia tradicional!

  1. É um veículo relativamente caro: TV, jornal, revista e cinema são os principais meios e consomem bastante a verba dos contratantes;
  2. É uma via de mão única, sem reciprocidade: aí entra o telespectador, o ouvinte, o leitor, etc. Todos eles apenas recebem a mensagem, não interferem no andamento dela;
  3. É difícil de ser medida: o consumidor primário está disperso, com interesses múltiplos e atenção dividida entre os novos meios. Quando ações e cliques não são possíveis, nem o número de televisores ligados já não representa uma realidade de consumo;
  4. Queda considerável no número de leitores de jornal por dia: sem leitores, os anúncios contidos no exemplar impactam cada vez menos;
  5. Menos público, menos venda, mais obsoleto o canal fica;
  6. O famoso ROI, retorno sobre investimentos, vem caindo sensivelmente para os meios clássicos;
  7. É um meio lento para postagem de conteúdo: obedece a horários e datas pré-estabelecidas, o que frustra o consumidor atual, muito mais ágil.

Seguindo esses prós e contras, se seu objetivo for o alcance das informações, o grande impacto, a segmentação de acordo com veículos e a transmissão de confiabilidade, a mídia tradicional é a escolha certa. Porém, se sua empresa deseja compartilhar informações, personalizar sua mensagem, interagir com o público e mensurar os resultados, a melhor opção é a mídia online. E mais, se você quiser tudo isso e potencializar os resultados, por que não conciliar as duas mídias?

Como conciliar a mídia tradicional e a mídia digital?

convergência de mídias, mídias tradicionais e mídia digital

A decisão de compra de um consumidor se divide em diversas etapas que podem acontecer em diferentes meios. As mídias tradicionais como TV, rádio e impresso geralmente são responsáveis por chamar a atenção do consumidor, causar desejo, gerar conhecimento e lembrança da marca. Já na mídia online, a marca tem acesso a todos esses benefícios, e ainda consegue segmentar, personalizar e obter maior interação com o usuário.

Pensando nisso, imagine a rotina de um determinado consumidor: ele acorda, liga a TV enquanto lê o jornal e toma seu café, pega o carro para ir ao trabalho e no trajeto escuta algumas músicas no rádio. Só até aqui ele já teve acesso a três meios de comunicação tradicionais, nos quais diversos anúncios, certamente, estavam presentes. Digamos que ele se interessou por um produto anunciado durante o intervalo das músicas que estavam passando no rádio; o próximo passo provavelmente seria procurar pelo produto no meio online, seja em algum mecanismo de busca ou no próprio Facebook. Consegue relacionar as etapas que levam um consumidor até a decisão de compra com a importância de estar presente tanto na mídia tradicional quanto na digital?

Nas mídias tradicionais, o anunciante, geralmente, conta com um espaço e tempo de exposição limitados. Já os meios digitais tendem a ser mais informativos e menos invasivos que os demais, uma vez que o usuário navega na web quando e onde ele quiser. Dessa forma, conciliar as duas mídias facilitará o processo de entrega de sua mensagem de forma eficiente para o consumidor.

Outro motivo pelo qual você deve aproveitar a união das duas mídias é que, mesmo que o meio online – Facebook, por exemplo – seja um espaço ilimitado e perfeito para os consumidores se relacionarem, pesquisarem e compartilharem informações e experiências sobre determinada marca, muitos ainda agregam credibilidade apenas a marcas que possuem visibilidade no offline.

Case de sucesso

O Banco Itaú tem explorado muito bem a relação entre mídia tradicional e digital em suas campanhas. A produção de um comercial para a televisão, que utilizou o viral de um bebê gargalhando ao ver o pai rasgando papel, tornou-se uma sensação – novamente – nas redes sociais, atingindo mais de 15 milhões de views no YouTube. O intuito da campanha era incentivar os clientes a cancelarem o recebimento de extratos em papel e mudarem para o digital. O comercial fez tanto sucesso que lançaram uma nova campanha que mostra a visita aos pais do bebê. O vídeo foi postado nas redes sociais da marca e até hoje é lembrada pelos internautas.

Se você ainda não viu o vídeo, confira, e se já viu, vale à pena ver de novo:

 

Mensuração de resultados

Investir em mídia online significa ter a possibilidade de mensurar praticamente tudo. Um estudo recente realizado pelo Google indica que 37% das buscas são originadas da televisão, enquanto o impresso responde por 30%, os PDVs por 20% e o rádio por 17%. Voltando lá para o nosso consumidor-exemplo citado na metade do texto, podemos analisar como funciona o comportamento dele perante os meios, ou seja, ao entrar em contato com uma informação nova, o consumidor se volta para a Internet para saber mais sobre o assunto.

O Itaú, no exemplo em que citamos, por ter usado a convergência de mídias, pode ter acesso a melhores resultados utilizando ferramentas e plataformas de monitoramento de informações. Analisando os dados coletados é possível identificar a repercussão que suas ações obtiveram, além de evitar eventuais crises e planejar estratégias de comunicação, direcionando melhor suas tomadas de decisões.

Portanto, hoje, é mais do que necessário aliar a mídia tradicional à digital, pois elas se complementam, uma vez que a tradicional já utiliza as mídias sociais para se aproximar do seu público, bem como a digital usa as mídias tradicionais para divulgar sua existência e transmitir confiança.

 

Saiba mais:

 Banner Inteligênciav2

Compartilhar:
miti

miti

Monitoramento estratégico de conteúdo. Informações relevantes, selecionadas e filtradas de acordo com a estratégia de negócios de sua empresa. Nossa equipe de inteligência é formada por profissionais dedicados a estudar as especificidades de cada clientes.

6 comentários

  1. Ola, gostei do artigo, aguardo mais dicas como esta. Para mim que estou começando agora são dicas muito importantes.

  2. Gostei muito deste artigo.

  3. Ficamos felizes em saber que gostou do artigo, Paulo! 🙂

  4. Que bom que gostou do artigo, Antonio. Acompanhe nosso blog para mais dicas!

  5. Gostei do artigo!

  6. Ficamos felizes em saber que gostou do artigo, José!

Deixe uma resposta